26/06/2019

O Moodle

Entre outras palestras relevantes que aconteceram no Moodle - mootBr19 em SP, tivemos a honra de ver Pablo Etcheverry e Laura Vaccari, ambos da empresa ENTORNOS EDUCATIVOS que conquistaram um espaço relevante como formadores de opiniões também no Brasil.

De acordo com a palestra, ainda temos um grande e lindo problema, no sentido literal e conjugado, da afirmação, quando falamos sobre a “beleza” no/do MOODLE. No ano passado eles apresentaram a primeira parte sobre “O Moodle é feio:”, foi um sucesso contextualizado e neste ano de 2019 não foi diferente, foi bem aceito pelos Moodleiros.

Como diz o meu amigo Vinicius de Moraes: "Que me perdoem as feias, mas beleza é fundamental”. Sim, esteticamente e pedagogicamente falando... sim mil vezes sim!

A primeira “coisa” que pensamos, quando vamos contratar um LMS ou como chamamos “chulamente” de UMA PLATAFORMA PARA EaD, pensamos automaticamente em algo que já “sonhamos” ou seja, que já idealizamos, criamos expectativas e aí, todos nós sabemos que expectativas geram uma grande carga de decepção, que de cara remete ao MOODLE 2.7.

No ano de 2018, nós, eu e uma equipe experiente, realizamos uma pesquisa bem grande, ou uma grande pesquisa, para resolver alguns problemas. Fizemos a pesquisa com usuários do MOODLE (alunos, professores e administradores) em busca de entender o que eles queriam sobre o ambiente que estavam usando.

Antecipadamente eu já tinha a minha opinião e não fiquei surpresa com o resultado da pesquisa, resumindo: 80% dos usuários alunos, apontaram itens do eixo estético, já os administradores 70% estéticos e para garantir que eu entendesse o queriam dizer, enviaram “prints” de ambientes virtuais que consideraram legais e bonitos e a equipe administrativa citaram itens estéticos em 43%.

Como foi? ❤️

Na palestra, Pablo elencou pontos relevantes sobre tolerâncias, tempo de resposta e outros aspectos técnicos, apontou também, estudos sobre sites com reversões analisáveis. E o mais importante, no meu ponto de vista, contextualizou o momento histórico relacionando com a data de criação do MOODLE, achei bem legal!

A grande sacada sobre a influência que a “data de nascimento” do MOODLE reponde há muitos questionamentos, sobre o atual MOODLE, eu particularmente, relacionei diretamente com a “MODA” , com a influência dos tempos nas roupas que usamos por exemplo, hoje não vemos muitos homens usando calça Boca de Sino” e quando vemos nem sabemos dizer se é bonito ou não, apenas se usaríamos ou não! Entende? Tudo depende de qual padrão queremos ter... (quando digo queremos-me refiro aos principais usuários do Moodle, os alunos). Nas pesquisas realizadas, encontramos poucas pessoas que gostam do primeiro modelo do Moodle, algumas outras que gostam “do meio termo”, mais acadêmico e uma grande parte de usuários que querem inovar no próprio Moodle. Acho isso bem legal!

Pablo, salientou que devemos considerar que a web é um ecossistema, ao ouvir esta frase entrei em um túnel do tempo com muitas revelações e experiencias próprias, que estavam bem guardadas e quase esquecidas. Pablo, também pontuou que o belo é relativo aos tempos e as culturas de cada época, que as percepções são alteradas constantemente.

Outro momento, que curti muito, foi sua fala sobre a “usabilidade” e do “lindo”. O que tem boa usabilidade é merecidamente belo? O que é belo é merecidamente positivo como experiência de usabilidade para o aluno?

Então, vamos lá!

Sim o MOODLE pode ser bonito e pode, ao mesmo tempo, promover uma experiência positiva para o usuário. Aqui coloco uma observação, fundamental em meu ponto de vista, o Universo metodológico, Didático e Pedagógico, tem que ganhar mais espaço, o professor tem que “saber fazer” e para isso navegar por todos esses mundos.

E, olha aí as novas habilidades tomando forma e ganhando espaço. O professor tem que ter, obrigatoriamente, a noção de um bom design instrucional e talvez se tornar um Designer Instrucional. Penso também que é de suma relevância dar mais autonomia para os professores e/ tutores para o trabalho que lhe pertence. Como? Mostrando novas possibilidades, novos mundos, novos “MOODLEs”.

O que eu desejo?

Que todos assistam as palestras disponibilizados, no Moolemoot 2019 - SP sobre a palestra citada. 

Que os Moodleiros, fiquem atentos com as novas possibilidades que estão aparecendo sem limites particulares.

E, por fim desejo que acessem os links abaixo:

Parte 1 - https://twitter.com/i/broadcasts/1OdKrvkbdgYKX

Parte2- https://twitter.com/i/broadcasts/1lPKqogAzmdJb

Acesse e participe da comunidade Moodle Brasil: https://www.moodlebrasil.org/

O que fazer?

Trabalhe seus projetos, no Moodle com foco, educacional, criem suas equipes de trabalho com Pedagogos, Designers Instrucionais, desenvolvedores e administradores. Lembre-se que juntos podem entregar muito mais e, com mais qualidade, e, por fim, na minha opinião, o pior erro é desconectar desenvolvimento as “linhas digitáveis” dos procedimentos metodológicos. 

Penso que de momento seria isso! Espero que tenham gostado. ????

ACESSE AQUI!

Sobre o Autor

A Todraw nasceu com a missão de criar novos caminhos para educação utilizando as tecnologias, proporcionando desta forma o desenvolvimento humano. Foi fundada e fundamentada no uso de tecnologias e softwares livres no ensino hibrido e avançado, com a intenção de catalisar pontos estratégicos do Design Sprint, do Design Thinking e do Design Educacional mapeando experiências em ambientes virtuais de aprendizagem utilizando a sala de aula invertida e xAPI, fundamentados em metodologias pedagógicas para o desenvolvimento humano. A Todraw deseja ser uma agente multiplicadora de ideias e produtos, otimizando o tempo e a energia de todos os colaboradores e desta forma alcançar o sucesso coletivo, evitando erros que já foram cometidos, descritos e superados.